sábado, 1 de setembro de 2007

Autopsicografia II


Algumas coisas antes do texto de hoje:

Primeiro: O grande Rob Gordon do blog Championship Vinyl, me indicou ao prêmio blog 5 estrelas.
Eu teria que indicar mais 5 blogs, mas o tempo ja se expirou entao não tem porque.


Segundo: O texto é ume releitura do "Autopsicografia" do Fernando Pessoa.Quem quiser ler o original é só procurar no google que vem rapidinho.

Agradeço pelo prêmio. Apreciem o texto.


Por ser poeta, sou fingidor.
Chego a fingir tanto e tanto,
Que chego a fingir com tal ardor,
A dor verdadeira de meu pranto.

E meus fiéis leitores
Com meu pranto hão de sorrir;
Não por minhas verdadeiras dores
Mas sim pelo pranto que estou a fingir.

E assim na vida e na morte,
Corre, a te encher de ilusão
Esse bixo de estranha sorte
Que se chama coração.

7 comentários:

Blog Esponja disse...

Pow legal o poema.
Ficou massa.
O original eu vou dar uma procurada depois pra ver como é.

Blog Esponja ®
www.blogesponja.net

Danilo Lovisi disse...

"Por ser poeta, sou fingidor.
Chego a fingir tanto e tanto,
Que chego a fingir com tal ardor,
A dor verdadeira de meu pranto."

Muito bom o poema,amigo.Melhor estrofe é essa ai acima,realmente uma verdade.

www.escuteiedigitei.blogspot.com

Kage Tenshi disse...

Não existe melhor premio que os comentarios, por isso, parabens!

http://asasdeprata.podomatic.com

young vapire luke lestat news disse...

f Faço minhas as palavras do comentário d Kage Tenshi


Excelente blog.

Parabéns


[]s L.Sakssiad

Negão Internauta disse...

Belíssimo poema-definição. Também acho que o melhor parágrafo é o supra-citado pelo Danilo. Muito bom.


Abraço!

wuoy0803 disse...

Gostei ...
Apesar de não ser um estilo que eu goste, sei admitir quando é simplesmente bom!
continue assim!


visite o meu:
http://ssadness.blogspot.com

Guga Paz disse...

o poema do Pessoa é maravilhoso e sua intertextualidade ficou muito boa também!