quarta-feira, 4 de julho de 2007

Esse Algo.

Ah, cada passo que eu dei sem uma direção certa aparentemente me levou diretamente pra você.E como que uma coisa pode ter sido tão boa e tão ruim ao mesmo tempo?
Aquelas coisas que antes tavam escondidas la no fundo de mim começaram a aparecer repentinamente, e tudo veio num turbilhão que eu nao posso mais segurar com meus musculos dos olhos.Ai ai, e eu achando que eu tava pra sempre imune disso.Eu costumava ler sobre isso e assistir isso acontecer, mas eu só apontava e ria.Aquele riso sinico sumiu de uma vez para dar lugar a outro, que de vem em quando desaparece para uma outra coisa que não é riso.E tudo que para mim era lei imutável, se despedaçou diante dos meus olhos, enquanto eu assistia impotente de mãos atadas.Meus pensamentos tentaram fugir, mas esse algo era mais forte e rapido, e os alcançava antes que eles tivessem uma chance.Uma coisa estranha veio subindo na minha barriga, me dando um sentimento desconfortável que não saia por mais que eu quisesse ou me esforçasse.Não importavam palavras, ou pedidos suplicantes aos céus, que aquilo simplesmente não ia embora.
Parei e sentei.Fechei os olhos e me concentrei e em pensar em algo diferente de você.Inutil, simplesmente inutil.Seu rosto vinha sem vacilar, e vinha junto com aquela coisa na barriga.
Não sei o que quero.A unica coisa que eu quero é você só pra mim.Chame de egoísmo, chame do que você quiser, mas é o que eu quero.Não adianta eu lutar contra isso por que é, simplesmente, mais forte que eu.
E eu pensei, e eu pensei, e eu pensei em você incessantemente, e, meu deus, como eu odeio gostar de você.Como eu odeio o fato de você ter vindo e mudado absolutamente tudo.Odeio, odeio, odeio.Mas fazer o que se eu esqueço de tudo isso no segundo em que eu vejo você sentada naquele banquinho esperando eu chegar?Fazer o que se pra cada pensamento que me da aquele frio na barriga, existe um que me faz sorrir?
E cada sorriso que você me da, me muda um pouco, e me muda profundamente.E esse poder eu confiro a você intransferivelmente.
E cada olhar que você me da, com aquela expressão que é só sua,eu sorrio por dentro tentando esconder por fora.
E cada vez que você me morde, aquela dor entra confortávelmente dentro de mim, me dando uma sensação de felicidade.Não pela mordida é claro, mas por ser você quem está mordendo.
E saiba que você foi a unica que me fez sentir esse algo, e me fez sentir esse algo forte, que doía, mas eu sabia que fazia parte, e que eu ia me acostumar.
E saiba que eu descobri com você o que é ter pelo menos um pingo de sofrimento acontecendo no coração, e não é coisa boa.Não passa e incomoda.
E saiba, enfim, que foi só quando a primeira lágrima veio descendo pela minha face empalidecida, que eu percebi que te amava.

13 comentários:

Frederico disse...

camarada.. srsr você precisa de uma abraço srsrsr que texto mais dor de cutuvelo... mais ficou legal de verdade3.. abraços...

::M@y:: disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
::M@y:: disse...

Rsrrss, concordo, vc tah precisando é de um abraço! :P

Zoa, gostei muito do texto, vc escreve mt bem!

www.popandfriends.blogger.com.br

Cris Penha disse...

Suas palavras sempre certeiras e eficazes na hora certa!!

Bjos

Laboratório de Geografia

Geografia, informação, arte, cinema e diversão sem contra indicação.

http://laboratoriodegeografia.blogspot.com

Leonardo disse...

Ei cara, amar é bom demais!


http://pontodevistadeummaluco.blogspot.com/

Bion disse...

É o amor... que mexe com minha cabeça e me deixa assim... hehehe

Nossa rapá, que dor de cotovelo é essa?

Boa sorte aí!

abraços

Alyda disse...

Adorei seu blog.
Gostei muito da maneira como você escreve, na leitura fiquei imaginando o que se passava com você.

O amor tem suas dores e alegrias. Com o tempo, vamos aprendendo a guardar o que há de bom.

Parabéns pelo blog e pelo post e sinta-se abraçado ;-)

Sakura disse...

aaaaaaaaaaaaaiiiiii
vou fazer uma campanha abrace esse rapaz


muito bom
mais...vc precisa de um abração



pra completar eu ainda to ouvindo
boa sorte de vanessa da mata
preciso de uma navalha huhaihaiuhaiua


bjos

Elza disse...

Ahh, uma coisa aprendi, nunca a apontar e rir, amanhã poderia ser eu naquela situação!
Espero que o algo melhore!
Um abração! (faz bem nessas horas)
=]

vultomistico_ disse...

Ah cara, um abraço, parabéns pelo blog

-Matheus disse...

É as coisa nao devem estar muito boas.
Eu vivo isso a um bom tempo.
Mas passa, ou nao.
Sucesso pra vc, abraço.

Nobre Epígono disse...

Vou fazer um breve comentário.

Interessantíssimo seu blog, Renatô!
Vou deixar salvo aqui no meu PC pra olhar com calma depois, tá?

Abraço!

Arne Balbinotti disse...

Infelizmente esse algo que você está passando é inevitável, pelo menos se foi o que eu entendi.
Mas nem se preocupe, isso passa, virão outros "algo", e vão passar também, e assim vamos vivendo.
Sentindo e passando.
Abraços.