terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Caixa

Me sinto preso
Na caixa de pele e carne
Que parece pequena demais
Para minha alma
Errante.

13 comentários:

Fábio Buchecha disse...

Me sinto como você, mas apenas quando a fotografia pe tirada no momento certo. Quando o instantâneo é unicamente verdadeiro.

___________________________________
TemPraQuemQuer <<< Entra!

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

oi, tava passeando na net e achei teu blog!!! bem bacana... espero que visite tbm
bejaum

Ana Paula disse...

Tão simples e admirável!

"Que parece pequena demais
Para minha alma
Errante"

Jul!o disse...

me senti agora como um brinquedo esquecido, sem função...melancólico!

february star disse...

acho que eu n ia querer me libertar.

Bia disse...

Forte e impecável..
Adorável seu blog!

Nathy. disse...

sentii firmeza. PARABÉNS, pequeno trecho, mas com um enorme significado.

Caroline Bigarel disse...

Olha, nunca tinha vindo aqui. Gosto de encontrar blogs assim pela net... muito bom, execelentes poesias.
Essa é curta e diz muito, cheia de significado em cada verso.
bjs

Nana Lopes disse...

Gostei do cheiro de seus poemas...
Bjkas

Rob Gordon disse...

Detesto vir fazer isso aqui nos comentários, mas não achei seu orkut.

Estou pedindo votos para os parceiros do Champ-Vinyl nessa enquete

http://www.orkut.com/CommPollVote.aspx?cmm=147941&pct=1200457814&pid=69073382

E, se você tiver amigos na comunidade, "campanhe!"

Valeu! Conto com vc! Abração!

Jana disse...

Blog maneiro guri
encontrei por ae

Google disse...

Ei cara ta massa eu poste da CAIXA, copiei pra mim no caderno aq na faculdade.
flw

Professores Dias D' Ávila disse...

Achei os textos de boa qualidade e com mensagens muito interessantes. Gostei muito. Leiam!