sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Despedida

Tive-lhe por minha desde o nascer.
Quero-lhe bem por longuíssima data.
Protegi-lhe do amor vazio que mata,
E de toda a dor que lhe há de valer.

Deixo-lhe a morte como dei-lhe a vida.
Darei-lhe de volta a tua vil infância
E todo o amor que vem com ser criança,
E todo o chorar que vem com a despedida.

12 comentários:

blog disse...

As rimas foram propositais mesmo?
Vc é talentoso, camarada, deixe-as de lado.
Mande ver.

Abraço.

Everaldo Ygor disse...

Belo Poema - Bela rima...
Muito bom o seu Blog!
Abraços!
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Gir disse...

Muito bom o poema!
rima perfeita
e esse poema me lembrou um poeta que não me recordo o nome, mas ele era antes da era modernista, se não me engano o nome dele é Alvares de Azevedo!

Lemp disse...

boas rimas..ehhe

Cicely e Flávio disse...

Lindo seu blog e em um dos meus passeios achei... rsrs... bjo da borboletinha Cícely

Psicopata disse...

Legal o poema
beme scrito
abraço

Carlos Vin disse...

É... O garoto tem talento hein.

Um poema bem escrito
Parabéns Velho!

BLOGDOED disse...

Já disseram ai encima: Vc é talentoso, cara!


abçs

Vitório Backes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vitório Backes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jackeline disse...

Belo mesmo como todos já disseram! Tens talento.

E quanto a tatuagem.. para você falta pouco mesmo, rsrs. Faça uma bela tattoo hein!?

Beijos

Rafael disse...

gostei da rima.
parabéns vc tem talento, se é que o poema é seu.