terça-feira, 8 de julho de 2008

Mesmice

Sentei na pequena cadeira de couro
Em que sempre me sento,
Abri o velho bloco de notas
Que sempre abro,
Peguei a mesma esferográfica
Que sempre pego,
E tomei a mesma posição
Que sempre tomo.
Tentei escrever
O que sempre escrevo,
Mas não consegui.

Pensei, então, que
Talvez... só talvez,
A rotina de mesmice que circunda meu escrever,
E a mesma cadeira, esferográfica,
O mesmo bloco e a mesma posição,
Não sejam mais o suficiente.
Quando a pessoa que inspira as letras
A deixar a mente e surgir no papel,
Já não é mais a mesma.

9 comentários:

STC disse...

parabens,belo poema
vc compoe bem gosto de blogs assim...

http://supertopcelebridades.blogspot.com/

Juúh* disse...

ai que liindo!
amei, você é incrível!

Aquele que anda no Vidro disse...

gostei do estilo(embora não seja fã de modernismo).
mas realmente, se tratando de realidade, mesmo em prosa, da para o poeta se identificar com o poema^^

Abraços.

Flá Absolut disse...

É... isso chamamos de rotina!!!!!

legal o post

Fabi disse...

O tempo e as pessoas mudam tudo em nossa vida...

Thiago_ajairon disse...

Ei meu velho... vi seu blog em um dos topicos de blogs de poesia, olhei varios, mas esse me chamou mais atenção!

Gostei muito dos poemas e o "Mesmice" me chamou atenção pela sinceridade e porque me lembrou o modo que escrevo.

Parabéns meu caro, voltarei aqui mais vezes, forte abraço!





http://ajairon.blogspot.com

Thais Michele Rosan disse...

a rotina faz parte, mas as vezes precisamos arrumar um jeito de fugir :)

adorei teu blog
bju

Juliana Mendes disse...

uum ...
*.*

passa no meeeeeeeeeeu;

simple_chi! disse...

adoro demais seus poemas!
por isso nos do quadrado magico deixamos um presente pra voce lah no blog:

http://quadrado-magico.blogspot.com/

beijos!